O Olhar Criativo

Por Rodrigo de Barros

Ouço com muita frequência pessoas afirmarem que não são criativas. Isso me incomoda. Me incomoda porque uma pessoa que não enxerga sua criatividade não a exerce conscientemente. Por isso tenho dito e explicado por aí: todos somos criativos, mesmo que pensemos o contrário.

A criatividade está ligada essencialmente à duas coisas: espiritualidade, no sentido de percepção do não percebível pela maioria, aproximadamente na linha do que o filósofo Schopenhauer afirma: “a tarefa não é tanto ver aquilo que ninguém viu, mas pensar o que ninguém ainda pensou sobre aquilo que todo mundo vê”.

A outra é sobrevivência, no sentido de resolver problemas e tornar a vida possível e mais fácil.

Entendo que todo ser humano dia-a-após dia está resolvendo pequenos problemas. Lidando com situações necessárias ao seu bem estar. Pensando em soluções. E é esse o início da consciência criativa para o despertar do olhar criativo.

Quando houver consciência de que pequenas ações diárias são fruto de uma resolução de problemas e da busca por soluções, compreendemos conscientemente o “mecanismo” mental que nos levar a conectar pontos e percepções e exercermos nossa criatividade.

Portanto, deixo a dica: pense em um pequeno problema que esteja tendo no momento. Em seguida pergunte a si mesmo: quais caminhos podem resolver? Imediatamente silencie e preste atenção no que irá pensar. Essencialmente essa é a criatividade acontecendo.

Quando você estiver plenamente consciente disso, aumentará sua percepção gradativamente e então a criatividade será cada vez mais intensa em sua vida.

Lembre-se de que Ser criativo é perceber formas, soluções e situações de forma original, tem essencialmente relação com a CRIAÇÃO de algo. Para que nossa mente seja criativa, necessita estar vazia de padrões estabelecidos, caso contrário, teremos uma mente orientada para a imitação, e imitar não é criar, e pelo sentido espiritual da criatividade, em nada se relaciona com a prática criativa.

Criatividade é o contrário do que as pessoas comumente imaginam. Não se trata de autoconhecimento, mas de autoesquecimento, e autoesquecimento é espiritualidade.

Permita-se pensar, permita-se refletir. Menos juízo de valor e let it be…

1 Comente

  • Lincoln Valle 24 de novembro de 2017 18:09

    Excelente artigo!
    Penso que a essência da palavra criatividade foi deturpada ao longo do tempo, principalmente no contexto corporativo. Legal refletir sob uma ótica mais leve, da criatividade sendo em essência como ela é!

Adicionar comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Quero saber mais!

Preencha o formulário abaixo para entrarmos em contato com você

X