Live não é apertar o botão e sair falando

Por Emmanuel Fornazari

A internet revoluciona a forma de contato com seu público, independente da área em que você atua. No entanto, apesar de ser um ferramenta que, literalmente, não sai da palma da sua mão – em 2017, ja há mais gente usando internet móvel do que em um computador – ainda há muita tentativa e erro para conseguir ser eficiente, principalmente nas mídias sociais.

Há muitos temas relacionados à internet que poderíamos abordar, mas a ideia aqui é trazer quick tips e não um e-book, então decide comentar sobre algo que gosto bastante de explorar e estudar e que virou febre com a atualização dos principais aplicativos de rede social: Instagram, Facebook e Twitter.

Qualquer pessoa agora pode fazer a tal Live. É só abrir o aplicativo, clicar em ao vivo e simbora! E aí que está o principal erro para quem usa a internet para trabalho – se você usa só para lazer este texto não é para você. Para quem usa apps para interação com o público, a primeira dica é: não faça live só por fazer.

As transmissões ao vivo têm suas peculiaridades e duas características se sobressaem, num primeiro momento: a factualidade/tempo real, que é quando a transmissão aborda algo que acontece no momento ou o repercute logo após o acontecido, como informações sobre uma votação importante na escala política, um acidente grave ou apresentação e avaliação de um jogo de futebol, de um show, e coisas do gênero; a densidade do conteúdo, que é um abordagem de um assunto relevante em voga no período de realização da live ou do público, como Novembro Azul, cuidados com iluminação de Natal ou um série de entrevistas com especialistas na área de atuação da página.

Fazer um live para dizer que vai estar em determinado lugar participando de um evento ou de um programa de televisão não faz sentido, além disso dá pouquíssimo resultado porque não gera engajamento. Um vídeo normal já dá conta, até porque que está na live espera saber na hora o que está acontecendo, obviamente por ser algo ao vivo.

Além, a parte mais importante de uma transmissão fica comprometida: a interação com o público. Esse é o diferencial: fazer seu público ser ouvido e falar diretamente para ele. Fazer uma live e não interagir é a mesma coisa que abrir uma loja e não conversar com os clientes que entram. E é essa interação que dá o engajamento necessário para sua live bombar.

Portanto, pesquise o interesse do teu público, defina temas diferenciados, anuncie as lives e esteja atento aos acontecimentos fatuais antes de lançar este projeto. Segura um pouco esse dedo aí, louco para clicar em “ao vivo”, que o resultado vai ser fantástico! Boa sorte!

 

Adicionar comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Quero saber mais!

Preencha o formulário abaixo para entrarmos em contato com você

X